Paciente é um homem de 58 anos que viajou à Itália, está bem e já teve alta, diz prefeitura.

Casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministério da Saúde, o que ainda não ocorreu.

A Secretaria de Saúde de Limeira (SP) comunicou nesta quarta-feira (26) que apura um caso suspeito de Covid-19, o novo coronavírus, em um morador da cidade de 58 anos.

Casos só são oficialmente reconhecidos como suspeitos após confirmação do Ministério da Saúde, o que ainda não ocorreu. De acordo com a pasta, o caso foi notificado por um hospital particular da cidade e o paciente esteve na Itália recentemente.

Ele retornou ao Brasil nesta terça-feira (25), porém apresentava os sintomas desde o dia 23.

"É morador de Limeira que viajou ao norte da Itália a negócios, passou por Florença.

A Itália é um foco de disseminação", informou o secretário de Saúde, Vitor Santos. Ele foi atendido pelo hospital, está bem e já teve alta.

Foram coletadas amostras de sangue, encaminhadas ao Instituto Adolfo Lutz. "O exame foi colhido, ele está bem, não há necessidade de internação.

Fica acompanhado pela Vigilância e equipe médica que o atendeu.

Se dentro de três a sete dias o exame não se confirmar, ele está liberado.

Se confirmar, segue isolado até completar as duas semanas [de avaliação do quadro de saúde]", detalhou Santos.

Procedimentos Conforme o secretário de Saúde, há um mês, quando a doença começou a ter casos pelo mundo, a prefeitura criou um protocolo semelhante ao Ministério da Saúde e Governo do Estado.

"Todo paciente que venha de uma região onde tiver caso confirmado e tiver sintoma passa a ser suspeito, então são colhidos os exames, tratados os sintomas e enviado para o Adolfo Lutz", explicou. No dia 3 de fevereiro, o Departamento de Vigilância em Saúde reuniu representantes de hospitais das redes pública e privada do município para alinhar o protocolo de atendimento e encaminhamento de eventuais casos suspeitos do novo coronavírus.

Na semana passada, moradores do Jardim Santo André participaram, na unidade de saúde do bairro, de uma palestra sobre prevenção à doença. O protocolo seguido pela Secretaria de Saúde de Limeira é o mesmo definido pela Secretaria Estadual da Saúde e pelo governo federal.

O Ministério da Saúde só considera o caso como suspeito de coronavírus se o paciente viajou para países com transmissão ou casos confirmados da doença, febre e um sinal ou sintoma respiratório (tosse, dificuldade para respirar, coriza e outros), ou contato próximo com suspeitos ou casos confirmados de pessoas com o vírus. De acordo com o secretário de Saúde, o coronavírus tem baixa letalidade e é uma enfermidade de característica viral.

As recomendações para evitar a expansão do coronavírus, segundo Santos, é manter distância de pessoas que, eventualmente, estejam tossindo ou espirrando, lavar sempre as mãos com água e sabão, não compartilhar objetos de uso pessoal, entre outras. O hospital que atendeu o paciente divulgou uma nota sobre o caso e recomendações: "O Hospital Medical notificou nesta quarta-feira (26) a Vigilância Epidemiológica de Limeira sobre um caso suspeito de coronavírus, que passou a ser chamado de Covid-19 pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Foi atendido um homem adulto, com sintomas de infecção de vias aéreas superiores e histórico de viagem recente para a Itália. No atendimento, foi informado o retorno do paciente ao Brasil no último fim de semana. Seguindo os protocolos preconizados pela Vigilância Epidemiológica, ele foi isolado, passou por exames que confirmaram o bom estado de saúde e notificação oficial foi feita imeadiatamente para os procedimentos de investigação do Covid-19. O paciente está em observação domiciliar. A Medical orienta que não há necessidade do uso de máscaras; apenas cuidados de higiene e etiqueta de tosse.

Lavar sempre as mãos é essencial.

Álcool gel apenas quando não for possível lavar as mãos. A Medical está atenta e segue rigidamente os protocolos definidos".

Região de Campinas A região de Campinas (SP) tem seis pessoas monitoradas pelos órgãos de saúde porque mantiveram contato com o homem de 61 anos que é o primeiro caso confirmado de coronavírus no Brasil.

Dois deles são de Valinhos (SP) e estão em isolamento domiciliar, assim como as três pessoas de Vinhedo (SP).

Além deles, um morador de Campinas estava no mesmo voo do paciente, que retornava da Itália.

Nenhum apresentou sintomas da doença até esta quarta-feira (26). Estado monitora Nesta quarta-feira, o governo de São Paulo criou um centro de contingência para monitorar casos de coronavírus no estado. A decisão foi tomada depois que o primeiro caso da doença no país foi confirmado na capital paulista.

Segundo o Ministério da Saúde, outros 20 casos estão em investigação, sendo 11 em São Paulo. A função do centro de contingência será coordenar ações contra a propagação do Covid-19.

O local será presidido pelo infectologista David Uip e contará com profissionais do Instituto Butantan e médicos das redes pública e privada, sob a supervisão do Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann. Initial plugin text Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba