Dados são da BRK Ambiental, que diz que recuperou 36,9 milhões de litros de água em 2019.

A cada 25 horas, na média, uma fraude em hidrômetro é constada em Limeira (SP) pela BRK Ambiental, concessionária responsável pelo serviço de água concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto da cidade.

Segundo a empresa, as fiscalizações levaram à recuperação de 36,9 milhões de litros do recurso hídrico. Os dados se referente a 2019, quando foram realizadas 9.148 vistorias com o objetivo de identificar as fraudes.

Do total das fiscalizações realizadas, em 349 foram detectadas irregularidades o que representa 3,8% do total. Limeira registra mais de 300 fraudes em hidrômetros Reprodução EPTV “Com o combate às irregularidades, conseguimos recuperar 36,9 milhões de litros de água para o município.

Essa quantidade é o suficiente para abastecer 6.150 pessoas por um mês”, afirma Fernando Mangabeira, diretor da BRK Ambiental em Limeira. A vistoria é realizada por funcionários da concessionária que, durante os serviços realizados, fazem uma análise visual para constatação de possíveis irregularidades.

Além disso, quando o sistema aponta variações de consumo uma equipe vai até o local para verificar. Tipos de fraude Ligação direta/by-pass: O cliente tem a ligação de água, com hidrômetro, mas faz ligação direta do ramal para o encanamento interno de seu imóvel, sem o devido registro de água pelo hidrômetro.

O cliente “controla” internamente por um registro o quanto de água consumida será registrada.

Ligação clandestina: O cliente não tem ligação com hidrômetro, fazendo a conexão direta com o ramal da concessionária Avarias no medidor com arame, imã e morsa A partir da identificação da fraude, a concessionária emite um Termo de Ocorrência de Irregularidade (TOI), com as informações sobre a fraude identificada.

A partir disso, aplica as sanções previstas em resolução da agência reguladora, que variam de acordo o tipo de fraude, mas podem ser desde a cobrança do hidrômetro até cobrança de valores retroativos e o corte do fornecimento de água. “As fraudes geram prejuízos para todos os clientes.

Elas são realizadas de forma precária e podem ocasionar grandes vazamentos e, por não serem tarifados, o consumo pode ocorrer sem consciência.

O resultado é o desperdício de água.

Além disso, o cliente que realiza a fraude pode ter sua água contaminada pelo dispositivo que ele utilizou para interferir no sistema”, complementa Mangabeira. Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba