Assim como o governador de Rondônia, Hildon Chaves (PSDB) deve liberar abertura de funerárias, comércio de produtos de agroindústria, entre outros.

Prefeito Hildon Chaves anunciou que também vai flexibilizar decreto de calamidade pública.

Armando Junior/Rede Amazônica O prefeito Hildon Chaves (PSDB) anunciou no fim da manhã desta quinta-feira (26) que, assim como fez o governador Marcos Rocha, também vai flexibilizar o decreto que regula atividades comerciais para enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. No momento ele deve liberar a abertura de funerárias, comércio de produtos de agroindústria, obras e serviços de engenharia, manutenção e limpeza, hotéis e hospedarias, escritórios de contabilidades, materiais de construção, restaurantes que ficam às margens de rodovias e borracharias. "Compreendemos que a liberação dessas atividades não causa grande impactos e já alertamos a população que na semana que vem, na segunda-feira, nós vamos fazer uma reavaliação dessa situação e vamos manter a população informada", disse Chaves, em nota. Decreto de calamidade pública A prefeitura de Porto Velho decretou Estado de Calamidade Pública no dia 23 de março para reforçar a prevenção e combate a propagação da doença.

Entre as determinações, o texto fala sobre os moradores da capital que estão em outros estados.

Esses só devem retornar à cidade após passar o período de calamidade, que, segundo o decreto, tem duração de 15 dias, podendo ser prorrogado por mais 15. Decreto de Estado de Calamidade Pública em Porto Velho, devido pandemia de coronavírus Prefeitura de Porto Velho/Reprodução O texto também autoriza a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) a convocar, por meio de portaria, os servidores de outras secretarias municipais para exercerem atividades de combate ao coronavírus por 15 dias, podendo ser prorrogado por igual período. A prefeitura ainda pede que a Polícia Militar (PM) ajude a dispersar aglomerações de pessoas, sendo permitido o uso da força. Initial plugin text